O Meu Barão, nosso diplomata, guru das Finanças, tem observado nas redondezas onde mora que muita gente está correndo aos supermercados para estocar alimentos. Motivo: a greve dos caminhoneiros, a consequente falta de óleo diesel e outros combustíveis nos postos.

Mas tem sentido sair correndo para comprar, por exemplo, alimentos perecíveis em um momento de alta absurda dos preços? Você já parou para pensar nisto? O quanto isto pode influenciar no seu orçamento?

O Meu Barão quer te esclarecer alguns pontos. Confira:

1 – Se todo o mundo sair correndo para comprar nos supermercados em um momento de desabastecimento, fatalmente duas coisas acontecerão: falta de produtos e a alta dos preços. A velha lei da oferta e procura. Quanto menor a oferta e maior a procura, a tendência é de subida dos preços.

2 – A perspectiva, avaliando-se as notícias e possibilidade de desbloqueio das estradas, é de que em uma semana ou mais os supermercados e feiras devem voltar a ser abastecidos. E os preços começarem a voltar ao normal.

3- Fazer a compra grande agora, aquela mensal, seria pagar caro em um momento especial. Dói no bolso.

4- Melhor comprar o necessário e tentar substituir o que falta por outros produtos sempre que possível.

5 – Sem gasolina ou etanol, o jeito é usar transporte público. Ou tentar se organizar com amigos na hora de ir ao trabalho e à faculdade. Carona solidária.

No mais, Meu Barão recomenda calma. Serenidade neste momento complexo.

Já olhou os serviços e investimentos na página do Meu Barão? Já experimentou alguns deles? Se sim, compartilhe sua opinião com a gente.

APROVEITE PARA SE CADASTRAR NA PÁGINA DO MEU BARÃO (WWW.MEUBARAO.COM.BR). É DE GRAÇA.