O Meu Barão reproduz texto do blog Bem Gasto(*) , do Insper, uma das melhores escolas de economia e negócios do Brasil. Confira.

Já deve ter acontecido com você: chegou em casa tarde da noite, morrendo de fome e de cansaço. Para tapear o estômago, prepara um macarrão instantâneo (o famoso lámen fabricado pelas mais diversas marcas… sim, esse mesmo que você está pensando), joga o temperinho na água e… pronto! Uma refeição rápida, prática e barata.

Peraí: barata?

Dias atrás, revi uma reportagem do Buzzfeed feita a partir de um post no Facebook da design Lavinia Carvalho, provando que o quilo do lámen de uma famosa marca é mais caro do que a mesma quantidade de capellini, um tipo de macarrão, de uma marca italiana. E o tempo de cozimento? Três minutos são necessários para preparar qualquer uma das duas massas.

Como a reportagem é de 2016, resolvi pesquisar o preço dos dois produtos numa das minhas visitas mensais ao supermercado.

E adivinhem? O pacote de capellini estava mais barato do que em 2016, ao passo que o lámen ficou alguns bons centavos mais caro. Vamos lá:

O pacotinho de 85 gramas do produto instantâneo custava, na semana passada, R$ 1,35. Já a embalagem de 500 gramas do capellini estava R$ 6,39.

Para ficar mais fácil, vamos fazer a comparação pelo peso. Então:

um quilo de capellini vale R$ 12,78um quilo de lámen sai por R$ 15,88

A diferença é de R$ 3,10. Pode parecer pouco, mas você pode usar o dinheiro para comprar alguns tomates frescos e complementar sua refeição.

Sabe o que é o pior de tudo? A versão instantânea tem mais calorias do que o capellini comum!

E se der vontade de comer um lámen bem quentinho e cheio de caldo com o sabor de sua preferência? Vá lá, não passe vontade. É uma delícia comer uma bobagem às vezes. Só não torne isso um hábito diário. E bom apetite!”

(*) Patricia Nakamura é voluntária do Bem Gasto