O Meu Barão reproduz texto do blog Bem Gasto(*) , do Insper, uma das melhores escolas de economia e negócios do Brasil. Confira.

“O plano de virar patrão continua de pé? Você conseguiu identificar uma oportunidade ou teve uma ideia do que pode ser um bom negócio, pensou e repensou a respeito do que você conhece para poder tocar o seu empreendimento, respirou fundo e fez vir à tona o espírito guerreiro que há dentro de você, raspou o cofrinho e conseguiu levantar dinheiro o suficiente para seguir com a sua empreitada. Então está decidido, você será um empreendedor.

Muito bem, e agora? Qual o primeiro passo?

Antes de mais nada, é preciso pesquisar para entender o quão boa é a sua ideia, qual a chance dela dar certo e, principalmente, o que você vai precisar fazer para que tudo funcione da maneira que você programou.

Até porque surpresa só é bacana em festa de aniversário. Na vida de um empreendedor eventos não programados são uma grande dor de cabeça, como encarar uma despesa não esperada, acabar gastando mais do que imaginava em uma reforma ou na compra de um equipamento, gastar mais tempo para conseguir achar um bom imóvel para alugar, não conseguir achar pessoas para trabalhar com você que tenham determinado conhecimento ou o seu público não gostar do seu produto. Tudo isso ou faz você gastar mais dinheiro ou te faz ganhar menos dinheiro porque geram uma enorme perda de tempo e esforço.

E qual é a dica para testar se uma ideia é boa? Você pode fazer um protótipo.

Chique, né?

Mas o conceito é simples, antes de sair gastando dinheiro de verdade, faça algo em menor proporção, somente poucos exemplares e mostre para pessoas que seriam seus potenciais clientes. Deixe eles experimentarem e te dizerem o que acham.

Por exemplo, se você pensou em abrir um restaurante, antes de sair comprando equipamento e alugando um lugar, faça um menu degustação. Isso mesmo, cozinhe um ou dois diferentes tipos de pratos, os principais que você está imaginando servir, e peça para pessoas da sua confiança avaliarem. Aí não vale chamar só amigos e familiares para fazerem parte do teste porque o que você quer é uma resposta sincera e honesta sobre o seu produto! Sem mágoas.

Quanto mais críticas você receber nesse processo de teste, melhor. Ou seja, quanto mais você errar na fase de teste, mais chance terá de acertar quando o investimento for para valer, já que você conseguirá aprender e corrigir uma série de problemas.

Busque testar o máximo de coisas que puder porque quanto mais amplo e real for seu teste, mais chance de acertar você terá quando começar a empreender.

Também não exagere no tempo de testes e nem nos custos. Você não vai querer gastar todo o seu dinheiro nessa etapa, certo? Faça o que for preciso para te trazer bastante conhecimento sobre o seu futuro negócio, mas não se esqueça que tudo que é feito com moderação, é melhor.”

(*) Fabi Bergamin, voluntária da ONG Bem Gasto é gestora de suas finanças pessoais.